Design by PaDesign
 
 

Fases de Crescimento do Pelo
Visão Geral
 
A UNIDADE Pilossebácea compreende o folículo piloso, o músculo piloeretor e a glândula sebácea. O folículo piloso é composto das seguintes porções desde a superfície até a parte profunda: infundíbulo, istmo e segmento inferior. Neste último encontra-se o bulbo piloso, local que contém a matriz do pelo e é a área responsável pelo crescimento e regeneração do pelo durante seu crescimento cíclico.

O componente principal do pelo é uma proteína chamada queratina, a qual é formada por cerca de 20 aminoácidos, sendo particularmente importantes a cisteína, arginina e citrulina, encontra exclusivamente nos pelos humanos.
 
 
 
 
Ciclo do Pelo
 
Os pelos não crescem continuamente, havendo alternância de fases de crescimento e repouso. Interessante é o fato de que a atividade de crescimento cíclico de cada folículo piloso nos humanos é individual. A qualquer momento temos uma quantidade de pelos em fases diferentes de repouso, crescimento e de desprendimento. Portanto, não ocorre nos homens aquela queda cíclica conjunta de quase todos os pelos que caracterizam as trocas de pelagem observada em vários animais.

Na fase inicial denominada anágena, o pelo encontra-se em crescimento devido ao fato de que as células dividem-se e queratinizam-se ativamente no bulbo piloso. Essa fase do crescimento dura de 2 a 5 anos no couro cabeludo e é seguida pela fase catágena, que é uma fase intermediária. Nessa fase que dura apenas cerca de 3 semanas interrompe-se a proliferação celular e o folículo regride a cerca de 1/3 do tamanho original.

 
A fase de desprendimento é chamada telógena e tem duração de 3 a 4 meses. Em seguida os pelos passam por uma fase de repouso e entram novamente na fase de crescimento anágena, começando assim um novo ciclo. Em condições normais, aproximadamente 85% de pelos da cabeça encontram-se na fase anágena, 1% na fase catágena, e 14% na fase telógena. Mudanças nestas proporções normais podem levar a uma queda maior de cabelos, o que ocorre, por exemplo, quando por causas diversas a proporção de cabelos em telógeno aumenta significantemente (eflúvio telógeno).
 
 
 
 
 
Causas da Queda de Cabelo
 
Eflúvio Telógeno

O eflúvio telógeno é a queda intensa de cabelos que estão na fase telógena. Podem ser várias as causas que determinam o surgimento do eflúvio telógeno como: pós-parto, interrupção do uso de pílulas anticoncepcionais ou de reposição hormonal, infecções e doenças acompanhadas de febre alta, traumas físicos e/ou emocionais, pós-operatório, doenças da tireóide, deficiências nutricionais (ferro, zinco e proteínas), ou dietas muito restritivas (com ou sem medicamentos). Considerando-se que a queda de até 100 fios por dia é considerada normal, para que se caracterize o eflúvio, o número de fios que caem deve ser maior que este. A doença não é acompanhada de nenhum outro sintoma, mas pode estar associada a outras doenças, como a dermatite seborréica que, quando intensa, também pode ser um fator desencadeante do eflúvio telógeno.